FAZEMOS DO ENSINO UMA VOCAÇÃO.

OS ALUNOS E AS PESSOAS SÃO A NOSSA MISSÃO


O NOSSO PATRONO É JOÃO ANTÓNIO JÚDICE FIALHO.


Nasceu em Portimão em 1859 e foi figura ímpar de empreendedorismo algarvio. 

Foi um dos maiores industriais no ramo da indústria conserveira da região do Algarve.

Tendo-se iniciado no comércio no barlavento algarvio, João Júdice Fialho estabeleceu-se depois em Faro, onde em 1882 casou com uma filha de Justino Cúmano, aqui iniciando a sua vida industrial como vinicultor e como industrial de destilação de frutos secos, ramo em que, de sociedade com Ferreira Neto, fundou a firma Neto & Fialho. 

Foi depois armador, proprietário de armações de pesca de sardinha e de atum e o maior proprietário agrícola do Algarve - com importantes explorações distribuídas pelos concelhos de Olhão, Faro, Loulé, Albufeira, Lagoa e Portimão, nomeadamente os Morgados de Boina, Arge e Reguengo e a Quinta de Quarteira (onde actualmente se situa Vilamoura). 

Em 1891 Júdice Fialho começou a lançar o seu “império” no sector da indústria conserveira, fundando a fábrica S. José, em Portimão, a que se seguiram a de Lagos (1899), S. Francisco (1903), Ferragudo (1904) e, depois disso, muitas outras no Funchal, Olhão, Peniche e Sines. 

No palmarés de Júdice Fialho como vulto maior da actividade económica daquela época, insere-se ainda o facto de ter sido ele o primeiro armador a utilizar o cerco a vapor - no caso, o “Portugal I”. 

Disciplinas